sábado, 2 de dezembro de 2017

UM NATAL DE ESPERANÇA


 
 O desejo de viver bem e ser feliz
é aspiração de todo ser humano...
E em busca desse sonho quase impossível
as pessoas se entregam – corajosamente 
apesar das incertezas e dificuldades que vão surgindo...

Em nenhum tempo isso parece mais forte
do que esse, de agora, porque é no tempo do Natal
que a ternura parece brotar mais facilmente,
no embalo da magia que envolve o mundo
pela chegada do Filho de Deus!

Que tal confiar que as nossas expectativas
podem acender a velha chama da esperança,
de que o nosso Natal virá para nos iluminar,
para reviver sonhos e acreditarmos no homem,
apesar da descrença e da falta de fé?

Que tal deixar falar o nosso coração,
apontando os rumos que nos levem adiante,
ansiando por um Natal de PAZ, de SOLIDARIEDADE,
de AMIZADE, de PARTILHA, de CONFIANÇA
e, sobretudo - e  apesar de tudo - de ESPERANÇA?
 
Feliz Natal, amigo / amiga!
E que seja de luz a estrada que nos levará a 2018!!!


quinta-feira, 2 de novembro de 2017

CEMITÉRIO DE FERNANDO DE NORONHA



Inaugurado em 1843 / Ampliado em 1883 e em 1997


Neste Dia de Finados recordemos o “Campo Santo” construído no arquipélago, para abrigar aqueles que se foram, em séculos... Embora necessitado de cuidados diversos, inclusive de um local digno para velar aqueles que morrem, o cemitério noronhense tem sua história registrada em livros diversos e sua imagem também vem sendo mostrada como parte de sua história e dos que ali repousam.  


ð Localização: a pequena distância da Villa dos Remédios, ao Sudoeste, no alto da Floresta, hoje chamada Floresta Velha.

ð Características: cercado de muro, com pórtico de entrada. Possui ainda a base da capela de pequenas proporções que aí havia, em louvor a N. Sra. da Conceição.

ð Construído em 1843, pelo comandante do presídio, coronel Antonio Gomes Leal. Área original: 178,80 m2 (em 1843). Após a ampliação, em 1883, passou a ter a área de 390m2.

ð Acesso por uma via secundária, hoje batizada como Rua da Consolação, a partir da Vila dos Remédios, ou pela própria área da Floresta Velha, no alto.

ð  A retirada de pedras dos muros laterais, a partir de 1957, para uso no Posto de Observação Teleguiados, instalado pelos americanos, na construção do piso de toda a área, alterou sua concepção inicial.

ð  Uma pequena ampliação em 1997, com recuperação do muro frontal, das cercas que o delimitavam com locação do futuro ossuário, e da Capela, ampliaram os cuidados, com proposta para ser sua área reerguida total ou parcialmente, para funcionar como espaço de velório (algo não existente no arquipélago).

ð   Novos estudos para o cemitério em 2015/2016, feitos pelo Grupo de Trabalho então constituído, com apoio de especialistas do setor de Necrópole da Prefeitura do Recife tentou -, entre as sugestões apresentadas – sugeriram a construção de um Ossuário, para onde seriam transferidos os sepultamentos mais antigos ou que estivessem muito danificados, nas estruturas dos túmulos. Apesar dos avanços os trabalhos não tiveram continuidade.

ð  Hoje o Cemitério noronhense está bastante avariado, parecendo urgente uma intervenção nos dias atuais.

   

 ....................................................................................................................

Foto 01 – imagem antiga do Cemitério, no século XIX.

Foto 02 – Imagem atual.